top of page
Buscar
  • Foto do escritorFabiana Salgado

Conheça um painel fotovoltaico que converte luz solar em energia elétrica

Atualizado: 11 de jul. de 2023

A energia solar é uma fonte de energia limpa, com maior crescimento entre os tipos disponíveis atualmente. Mesmo que a instalação possa ter alguns embaraços devido ao solo ou telhado irregular. Com efeito, esses são problemas fáceis de solucionar, diante da necessidade de conhecer bem um painel fotovoltaico que converte luz solar em energia elétrica.

A necessidade desse conhecimento é indispensável, tanto para quem já está no ramo quanto aos que pretendem ingressar nessa atividade, que será uma das mais promissoras fontes de negócios, e não apenas de eletricidade, dos próximos anos.


Embora a energia solar já seja conhecida há mais de trinta anos, no Brasil ainda estamos nos primeiros passos na exploração comercial da mesma. Conforme a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), pouco mais de 1% da energia que o país produz tem a sua origem na luz do sol. Um indício claro de quanto ainda temos que trabalhar, e lucrar, para promover e popularizar um painel fotovoltaico que converte luz solar em energia elétrica.


Detalhes de um painel fotovoltaico que converte luz solar em energia elétrica


Um painel, módulo, ou placa solar, é um conjunto agrupado de células fotovoltaicas que possuem a capacidade de condensar a luz solar para transformá-la em energia elétrica. Isso acontece na célula, quando os elétrons sofrem uma estimulação da luz solar e aumentam a sua movimentação, gerando energia.


Com o aumento do número de construtores de painéis, fica até difícil determinar a quantidade, assim como a diferença entre os diversos modelos de placas que estão atualmente à venda.


De fato, cada empresa quer definir uma exclusividade para o seu produto, um ponto que o destaque da concorrência. Contudo, como a função das células é muito básica, as principais diferenças estão na capacidade de absorver a luz, bem como na porcentagem dessa luz que sofre a transformação para eletricidade.


Assim, um painel fotovoltaico que converte luz solar em energia elétrica de qualidade será o que tiver maior índice de aproveitamento da luz captada. Para se obter esse painel, é preciso um estudo de todas as singularidades do projeto, como terreno, potência desejada e disponibilidade dos recursos, por exemplo.



Silício: a principal matéria-prima


Ainda que as pesquisas não parem na busca de novos materiais, o silício, que tem uso constante como semicondutor em todo tipo de tecnologia, é a principal substância que a indústria usa na fabricação de painéis solares. Assim, os módulos com mais eficiência são os monocristalinos (um só bloco de silício), e os policristalinos, painéis que se formam com mais de um bloco.


Como a tecnologia de produção das células monocristalinas é mais cara, o preço dos painéis dessa categoria acompanha a oscilação para cima. Ademais, a qualidade dos painéis monocristalinos é superior, o que justifica o custo mais alto.


Além do silício, existem pesquisas com outros materiais para a construção do painel solar, inclusive com partículas orgânicas. Entretanto, como o rendimento na produção de um painel fotovoltaico que converte luz solar em energia elétrica não é idêntico ao do silício, é preciso um estudo de custo-benefício para o uso desses painéis.


No entanto, é possível estruturar uma estação de energia solar eficiente de várias maneiras, graças à combinação de elementos que fazem parte da Tecnologia MLPE (Module-Level Power Electronics).


Tecnologia MLPE (Module-Level Power Electronics)


A tecnologia MLPE procura desenvolver componentes que auxiliam na busca por um maior aproveitamento do painel fotovoltaico. A sigla traduz para o português um sistema de controle da energia produzida ainda no módulo. A tecnologia MLPE busca, assim, desenvolver componentes que possam se interligar a um painel fotovoltaico que converte luz solar em energia elétrica, multiplicando os resultados.


Nesse sentido, o microinversor é um bom exemplo do que se conhece como otimizadores de potência, em um painel fotovoltaico que converte luz solar em energia elétrica. Enquanto um inversor comum trabalha com uma série grande de módulos fotovoltaicos, o microinversor opera com, no máximo, quatro, unidades. Dessa forma, uma baixa produção por um módulo que esteja na sombra, por exemplo, não irá interferir na produção dos outros módulos.


Como resultado, atinge-se o objetivo de transformar cada módulo em uma unidade de produção autônoma, contribuindo com todo o potencial para o sistema geral. É importante ressaltar que a variedade de opções, tanto de painéis quanto de inversores e outros equipamentos, interessa mais a um técnico eletricista ou eletrônico do que a um integrador solar moderno. Para mais informações sobre as atividades de um integrador solar leia o nosso artigo ‘O que é um integrador solar.’


A tecnologia para a criação das propostas


Com o desenvolvimento de novos equipamentos e o crescente índice de aceitação da energia solar, surgiu uma grande dificuldade: conseguir elaborar uma proposta para um projeto de forma rápida e sem erros.


Por isso, ficou muito difícil trabalhar como um integrador solar, sem aderir a um plano automatizado de geração de propostas, bem como de gerenciamento de todo o processo de vendas.


De maneira idêntica ao crescimento da qualidade de um painel fotovoltaico que converte luz solar em energia elétrica, o jeito de elaborar proposta mudou completamente nos últimos anos. São muitas combinações que a inteligência artificial usa para chegar a uma proposta eficiente e personalizada, exatamente conforme às condições que o cliente determina.


O sistema tem um banco de dados com todos os modelos de equipamentos dos mais destacados fabricantes. Desse modo, basta inserir as informações de consumo e do local para que seja gerada uma proposta comercial em apenas dois minutos.


Considerações finais sobre um painel fotovoltaico que converte luz solar em energia elétrica


A energia solar vem se destacando como uma excelente oportunidade de negócios, e somente a SolarMarket, por exemplo, já conta com mais 1800 integradores em sua equipe. Isso significa 1800 equipes trabalhando em um mesmo sistema, que funciona como um organismo vivo, sempre se desenvolvendo.


Portanto, um sistema assim se torna poderoso também na hora de negociar junto aos grandes fabricantes de equipamentos, que, aliás, já são mais de vinte empresas atuando no setor. Como resultado, os integradores conseguem comprar de forma coletiva, obtendo uma significativa redução no preço dos equipamentos.


Um painel fotovoltaico que converte luz solar em energia elétrica é a unidade básica de um sistema grandioso, que está em um momento de expansão em todo o mundo. Ademais, as condições climáticas do planeta estão sempre indicando que a hora de investir em energias renováveis como a solar é agora.


13 visualizações0 comentário
bottom of page