top of page
Buscar
  • isabelaalmeida4

Como um técnico em elétrica se torna um integrador solar?

Atualizado: 13 de jul. de 2023

O mercado solar está ganhando cada vez mais espaço no Brasil e no mundo.


Com isso, muitos profissionais que já trabalham algum tempo como técnicos em elétrica, ou que estão começando agora sua jornada pensam na possibilidade de serem também integradores solares.


Muitos talvez acreditem que apenas fazer um curso técnico geral seja suficiente para iniciar, e, na verdade, ter algum conhecimento na área é um bom começo.


Mas o que, de fato, faz um técnico em elétrica se tornar um integrador solar? O investimento compensa? Quais as vantagens de se especializar nesse ramo?


Continue nos acompanhando e confira todas as respostas ao longo deste artigo.


Qual a diferença de um técnico em elétrica e um integrador solar?

A resposta é simples: especialização.


Um técnico em elétrica pode trabalhar em uma ampla gama de áreas, como:

  • Áreas petrolíferas;

  • Distribuição de energia elétrica;

  • Telecomunicações;

  • Empresas de instalação e manutenção de equipamentos elétricos;

  • Indústrias de aparelhos elétricos;

Ele pode atuar tanto na execução de serviços e manutenção, como no planejamento e controle de qualidade de diversos tipos de sistemas elétricos.


Os salários também variam e dependem de vários fatores, como o grau de experiência do técnico em elétrica e o setor ao qual está trabalhando, por exemplo.


Em média, um profissional de nível júnior começa ganhando em torno de R$ 2.100,00, enquanto um sênior pode chegar até R$ 6.000,00.


Agora, quando falamos do integrador solar, já partimos do pressuposto que se trata de um profissional especializado.


Assim como um técnico em elétrica, ele também domina os conceitos básicos sobre sistemas eletrônicos e geração de energia.


Por outro lado, o seu foco está - como o próprio nome diz - em energia solar.


Nesse caso, o profissional vai mais a fundo e domina tudo o que envolve planejamento, instalação e manutenção de sistemas fotovoltaicos.


Ele também pode ser responsável por fazer a conexão entre clientes e distribuidoras de painéis solares, podendo prestar seus serviços trabalhando para uma empresa do ramo ou tendo seu próprio negócio.




É necessário fazer curso?

Assim como qualquer área de atuação técnica, é necessário que quem deseja se tornar um integrador solar faça um curso especializado.


Claro que, caso você seja um técnico em elétrica com alguma experiência trabalhando no ramo, terá mais facilidade para concluir o curso.


Dentre os tópicos abordados em um treinamento destinado a quem deseja ser um integrador, destacamos:

  • Fundamentos da energia solar;

  • Dimensionamento dos sistemas;

  • Resoluções da ANEEL (nº 482/2012 e nº 687/2015);

  • Módulos solares fotovoltaicos;

  • Ferramentas e equipamentos;

  • Manutenção de sistemas fotovoltaicos.


A carga horária varia de acordo com a escola técnica que irá oferecer o curso, e costuma variar de 16 a 30 horas.


O investimento necessário varia de R$ 1.800,00 a R$ 3.500,00.


Em alguns treinamentos, a grade curricular pode também incluir técnicas de venda e de negociação, sendo conhecimentos imprescindíveis para quem deseja empreender como integrador solar autônomo ou abrir uma empresa.


Recomendamos que você faça sua própria pesquisa por escolas e instituições que oferecem cursos para formação de integrador solar.


Uma dica extra: dê preferência para escolas técnicas com boas avaliações dos alunos, geralmente registradas no Google Meu Negócio.


Quais os motivos que levam um técnico em elétrica a se tornar um integrador solar?

Essa pergunta faz total sentido, pois muitos não sabem ao certo se compensa se especializar e trabalhar atendendo um setor apenas.


Afinal, se você pode atuar em vários lugares como técnico em elétrica, por que focar apenas em sistemas solares?


Veja 4 razões a seguir.

#1 - Setor de energia solar está crescendo no Brasil e no mundo

A demanda por fontes de energia limpa e sustentável não para de crescer.


Tanto empresas quanto pessoas querem reduzir seus custos, e ao mesmo tempo contribuir para um mundo melhor.


Os sistemas fotovoltaicos ajudam nesses dois quesitos, fornecendo uma fonte de energia limpa que pesa menos para o meio ambiente, e também no bolso do consumidor.


Tudo isso mostra o grande potencial desse setor, e que você como integrador solar poderá aproveitar essas oportunidades.


#2 - Salários e ganhos atraentes

Como integrador solar, você pode escolher entre trabalhar para uma empresa que fornece sistemas solares ou abrir seu próprio negócio no setor.


Qualquer que seja sua escolha, saiba que os salários e ganhos não ficam atrás de um técnico em elétrica.


Um profissional iniciante no ramo pode ter um salário inicial em torno de R$ 2.100,00, ao passo que sendo autônomo e com uma melhor experiência, seus ganhos podem chegar até R$ 15.000,00. Claro que isso varia e muito de acordo com cada pessoa.


A dica aqui é: se dedique e sempre preste um bom serviço. Seus ganhos irão crescer na medida que você também evolui.


#3 - Ampla gama de possibilidades

Você tem inúmeras oportunidades que não consegue contar com os dedos se quiser ser um integrador solar.


Em primeiro lugar, temos um mercado que cresce todos os dias e que, ao mesmo tempo, está com poucos profissionais plenamente capacitados para atender essa demanda.


Assim, você poderá se destacar no meio e se especializando, sendo bem requisitado por clientes que precisam dos seus serviços com urgência.


E conforme for adquirindo mais experiência como integrador solar, você irá cada vez mais abrindo portas para outras oportunidades, até mesmo trabalhando como consultor em sistemas fotovoltaicos.


Cabe a você, como dito antes, se dedicar e ir a fundo sobre um dos setores que mais cresce no Brasil e no mundo.


#4 - Brasil é favorável a energia solar

Vivemos em um país privilegiado quando se fala em pontos de irradiação solar.


Para se ter uma ideia, as regiões com os piores índices de irradiação solar no país ainda conseguem ser muito melhores do que a região da Alemanha com índices mais favoráveis.


Além disso, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) está constantemente revendo e atualizando suas resoluções e regras que promovem ainda mais a expansão do setor solar no Brasil.


Isso tudo se desenha como um cenário ainda mais positivo para você pensar em ser um integrador solar, não é verdade?


Próximos passos


Ser um técnico em elétrica e se transformar em um integrador solar é uma escolha pessoal, mas com certeza é uma das melhores que você pode tomar.


Lembre-se que ter sucesso no ramo de energia solar depende não só da sua excelente competência, como também da sua habilidade de saber administrar seu trabalho e promovê-lo.


Para isso, continue nos acompanhando para ficar por dentro de tudo o que você precisa saber para se tornar um integrador solar de sucesso.



30 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page