top of page
Buscar
  • Foto do escritorMatheus Werneck

Como Usar a Inflação Energética para Aumentar Suas Vendas!



O ano de 2023 trouxe muitos desafios para o setor de energia solar. Entre leis, mudanças de governo e taxas de juros elevadas, os integradores precisam se profissionalizar para sobreviver em um mercado cada vez mais competitivo. Agora, em 2024, com um mercado mais aquecido, os integradores estão mais preparados para fechar negócios e superar objeções. E você não pode ficar para trás!


Entendendo o problema:

De acordo com a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), a energia elétrica residencial teve um aumento médio anual de 16,3% entre 2015 e 2021, enquanto o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve uma variação de 6,7% ao ano. Isso significa que a inflação energética aumentou mais que o dobro da inflação nesse período.


Agora, vamos entender como isso afeta o bolso das pessoas ao longo do tempo. Em 2015, uma pessoa que ganhava quatro salários mínimos gastava cerca de 5% da sua renda mensal na conta de luz. Com o passar dos anos e os reajustes anuais, esse valor foi aumentando gradualmente. Em 2021, essa pessoa passou a destinar mais de 10% da sua renda mensal para pagar a conta de luz.


Fazer esses cálculos pode ser assustador, não é mesmo? Conforme o tempo passa, nosso dinheiro vale menos e os ajustes salariais não conseguem acompanhar totalmente essa mudança.


A solução:

Então, qual é a solução para esse problema? A energia solar! Com ela, o cliente deixa de ficar refém dos aumentos na conta de luz.


Mas surge uma objeção comum: "Se mal consigo pagar a conta de luz, como posso investir em energia solar?" A resposta é o financiamento, mais especificamente o crédito solar. Hoje, existem linhas de financiamento que permitem ao cliente instalar um sistema de energia solar sem precisar desembolsar dinheiro no momento da instalação.


E a melhor parte é que esses financiamentos têm parcelas fixas, com juros pré-fixados, ou seja, não sofrem correção ao longo do tempo. Isso significa que o valor da parcela continuará o mesmo, mesmo que o preço da energia continue subindo. Com o passar do tempo, essa parcela representa uma porcentagem cada vez menor da renda mensal do cliente.


Em resumo, quem não adota a energia solar hoje fica entre duas situações: continuar pagando uma conta de luz que só aumenta ou substituí-la por uma parcela de financiamento que permanece estável ao longo do tempo. Qual faz mais sentido para o seu cliente?


Agora é hora de levar esse conhecimento aos seus clientes e mostrar por que financiar um projeto de energia solar é uma escolha inteligente. E se precisar de ajuda para encontrar as melhores taxas de financiamento, conte com a SolarMarket.


105 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page